Diário

SÓ-cretinices

Hoje nas noticias do costume podemos ler que se pode intuir das escutas realizadas a Sócrates no âmbito do processo que o mantem preso preventivamente, que a autoria do livro que foi publicado como tendo sido escrito por José Sócrates é de um terceiro.

Já nem remeteremos mais para o facto de que esta noticia teria, à luz do segredo de justiça, de ser falsa, pois ao que parece há quem vá dando informações a certos jornalistas de partes do processo, numa clara violação da lei.

Falemos só da pobreza da notícia e diremos que deveria ter então sido disponibilizado, por quem passa as informações do que se passa no processo, o nome de quem escreveu então o livro. Isso daria a possibilidade aos leitores de acreditarem que não estavam a ser manipulados e daria um rosto ao facto. Só que isso não é interessante para certos jornalistas, de trazer por casa, já que tal nome daria a possibilidade ao próprio de dizer que tal facto era mentira e inclusive mover uma qualquer ação judicial que ainda desse alguma indemnização a pagar. Como tal atira-se para o ar uma suspeição, sem nada de concreto, diz-se que resulta das escutas do processo e está construída uma tese, mais uma, que faz do homem um grande mentiroso. É tão fácil bater em alguém que já está por terra… coisa tipica só de gente menor que tira ganhos da desgraça alheia.

Assim para os mais papalvos, sem indicar quem, onde e quando, diz-se que um catedrático da geração do Sócrates escreveu o livro e dá-se o facto como garantido. Talvez isto baste para a generalidade dos leitores do SOL e da tal fantasiosa jornalista, mas não pode bastar para gente séria e mais esclarecida.

Se muitos dos portugueses, perante este lixo jornalístico, se deixarem manipular e acreditarem, sem mais, no que tão pobre informação quer fazer crer, temos e merecemos um país que é uma miséria em termos intelectuais.

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *