Diário

Passos Coelho e o fantasma de novo orçamento retificativo.

Diz hoje o nosso incompetente primeiro-ministro que, espera que não seja necessário mais nenhum orçamento retificativo. Atribuindo até um ar doentio a quem o augura já.
Este senhor primeiro-ministro ainda vai continuando a ostentar um certo ar de superioridade que já lhe não assenta nada bem. Os disparates que esta estupida governação tem feito, têm vindo a colocar o país na situação que se vê. Não acertam uma, mas perante a questão se vai haver mais retificativos, ainda se ofende qual virgem imaculada.
Notícia Economico
Como pode este senhor sentir-se ofendido perante tantos erros de análise e de previsões? Não têm acertado uma só que seja. Veja-se que dois anos depois de estarem no governo, todos os indicadores são piores que antes de entrarem.
Ainda vão usando o Sócrates como desculpa para tudo. O ministro Gaspar ontem foi devidamente colocado no seu sítio pelo deputado Vieira da Silva, quando veio dizer que o memorando foi mal negociado. Parece que esta corja de incompetentes se esqueceu que perante uma pequena parcela desta austeridade se atiraram ao governo da altura pareciam algozes ou feras famintas. Situação para a qual tiveram a completa anuência do presidente da república, o mesmo que agora defende a estabilidade para não sermos prejudicados em termos de confiança. Parece que o memorando por onde se rege hoje esta gentinha de menor capacidade, tem alguma coisa a ver com o inicialmente negociado. Mesmo assim o que estava a fazer lá, o hoje chinês Catroga, não foi ele que ufanamente mostrou uma foto e disse que tinha dado o PSD uma contribuição imprescindível para o bom desfecho final? Devem achar que todos os portugueses são burros, como eles.
A hipótese de outro retificativo deve ser encarada com normalidade, pois esta gentinha ou falha nas previsões e tem de fazer retificativos, ou pede à Troika que aligeire as metas negociadas. Veja-se que hoje com todos os sacrifícios que temos feito as metas são bem diferentes das inicialmente anunciadas, mesmo dizendo eles que íamos andar além da Troika e que a coisa seria rápida e feita num “Vapt- Vupt”, tal a elevada competência anunciada. Como podemos ver nada disso está a acontecer e a tal competência é mesmo só uma enorme incompetência.
Devemos mais nominalmente, muito mais em termos de percentagem do PIB e com um numero de pobres a crescer todos os dias e com um desemprego imparável e nunca visto nem no tempo de Salazar. As metas estão longe do que tínhamos antes acordado e a tal rápida consolidação não se vê em lado nenhum. Dizem que a despesa primária baixou e que sem serviço de divida seriamos uma economia sólida. Mas o serviço da divida não é uma parte do orçamento? Se a minha avó tivesse testículos, com toda a certeza era o meu avô.
Se tirarem o ministério da saúde ou o da educação também ficaremos excedentários, mesmo ficando o serviço da dívida. A culpa é dos doentes ou dos pais dos estudantes, se não tivéssemos uns nem outros já não estaríamos agora a gastar esse dinheiro. Avaria é fazer com os condicionalismos existentes, orçamentos decentes e boas execuções orçamentais. Como a que estava a acontecer quando esta gente sedenta de poder deitou o governo da altura abaixo. Nisso, ajudada pela minha esquerda, que na altura não quis ver que o que vinha a seguir era muito mas muito pior, um erro estratégico ruim de corrigir.
Também agora os ventos adversos internacionais contam, mas no tempo do diabólico Sócrates não havia ventos nem crise do sub-prime, era tudo culpa da governação.
ESTA GENTE TRATA-NOS COMO SE DE BURROS NOS TRATASSEMOS TODOS, MAS SAIBAM QUE NÃO CONSEGUEM. VEJA-SE QUEM TEM A APOIAR ESTAS MEDIDAS, A BANCA E A ALTA FINANÇA, CULPADOS UNICOS DA NOSSA TRISTE CONDIÇÃO.
ATÉ QUANDO TEREMOS DE OS SUPORTAR, SEM AO MENOS LHES DÁR-MOS UNS TABEFES OU UMAS PALMADITAS NO RABO? TAL COMO SE FAZ ÀS CRIANÇAS MAL COMPORTADAS, QUE É O QUE ESTA GENTINHA SABE SER.
SÃO INCOMPETENTES, ARROGANTES, MENTIROSOS E CASTIGADORES DOS MENOS CULPADOS.
30-05-2013
Dinis Jesus

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *