Poesia

Sonhos proibidos

A cada dia te penso milhões de vezes
em sonhos recorrentes de envergonhada raiz.
Envergonhada sim, é um ter-te de forma imaginária e sem nexo,
sempre num frenético querer, nesse bailado louco a que chamam sexo.

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *