Diário

Falta de entendimento

Mas que raio de coisa, não estarei eu a entender, para não ficar contente com o facto de se ir pagar adiantado uma divida que o país tem com o FMI?

Será porque me dizem que é porque nos endividamos noutro sítio para o conseguir fazer? O que alcançamos com isso, uma baixa de juros? Quanto se poupa com isso e em quantos anos? Porque ninguém fala nisso? Ou falam de quinhentos milhões de euros, mas não dizem que são economizados no prazo de vida útil do financiamento destes catorze mil milhões de euros que era de oito anos.

Poderá talvez ser também porque me dizem que o tal pagar adiantado é de forma diferida e se vai verificar nos próximos trinta meses e não agora.Se calhar é porque não tem mérito nenhum, que não seja o da manipulação de cabeças menos informadas, assumir um compromisso que não é para ser cumprido por quem o assume e vai só obrigar o próximo governo que quase de certeza não será composto pelas mesmas gentes do de hoje.

Será que falar de pagamento adiantado, hoje, de uma coisa que se fará ao longo dos próximos trinta meses, apenas serve para demonstrar uma coisa que não existe e que é uma pseudo-saúde economica nas contas portuguesas? Servirá isso a este governo e a uma política mentirosa da união europeia e do fundo monetário internacional?

Cremos que apenas nos querem enganar e não entendo a euforia da coisa à luz de outra realidade que não seja o tentar marcar a diferença para a corajosa e acertada politica dos gregos, mostrando falaciosamente capacidades que não temos…

Os mercados são agora mais moderados connosco e com os irlandeses do que com os gregos, mas ainda estarão assim daqui a vinte ou trinta meses?

Somos efetivamente muito fáceis de enganar e eu espero, a bem de todos no país, ansiosamente estar enganado nesta minha maneira de ver a coisa.

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *