Diário

O meu Benfica e a perda de todas as competições.

Talvez por ser difícil para mim, falar deste assunto e também pela minha falta de confiança na vitória, não vi o jogo nem assisti a nenhum programa de rádio ou TV onde se falasse do assunto Taça de Portugal.
Ligação para ouvir o engrandecedor Hino do Benfica, enquanto se lê o humilde texto que escrevo.
Como não vi nada nem ouvi, na linha de que penas que se não vêem não se sentem, levei isso a peito como anestesiante e assim me mantenho até agora. Mas sabendo o resultado e sabendo que no final o Cardoso se insurgiu com o Jorge Jesus, tenho de falar de forma apenas irracional e subjetiva do meu Benfica.
Podia ganhar todas as competições em que estava envolvido e no final perdeu uma na meia-final, a taça da liga, perdeu o campeonato como Estoril ou com o FCP, injustamente, pela terceira vez perdeu com o Chelsea e finalmente foi de forma quase humilhante derrotado na final da taça. Termino dizendo que perdeu na praia mas todo o ano foi um digno competidor e a equipa foi respeitada e até temida por todos quantos defrontou.
Falarei também de Jorge de Jesus, que soube trazer de novo à ribalta do futebol português e europeu o meu Benfica como já não acontecia faz muitos anos, admita-se mesmo que durante estas temporadas que esteve na Luz o Benfica é uma equipa bem estruturada e muito capaz, mas que por uma ou outra condicionante não conseguiu levar a água ao seu moinho. Ainda assim só por casmurrice se poderá dizer que o trabalho foi mau, embora seja para mim fácil de admitir que com um pouco mais de ousadia poderíamos ter ganho o campeonato da Liga e a Taça de Portugal e mesmo ter passado à final da Taça da Liga.
Foi pouco ousado o treinador ou até temeroso em algumas ocasiões trazendo a equipa para trás quando o não deveria fazer, mas alguém que deu tanta alegria aos adeptos não pode passar de bestial a besta. Não o acho um admirável tratador da língua de Camões nem o acho uma figura avassaladora em termos de imagem, mas na globalidade acho-o um belíssimo treinador, além de que uma figura que prestigia o Benfica, terá sempre a minha incondicional admiração.
Já a Cardozo tenho de entender, sentiu muitas vezes que poderia ajudar a equipa se ficasse mais tempo em campo e que por sair ou não jogar a sua equipa perdeu os dois jogos decisivos. Embora criticável a sua ação sustenta-se na chamada razão atendível e tenho perante ela grande compreensão. Gosto dele enquanto jogador, acho-o competente e espero que saiba pedir desculpa ao treinador e a quem tenha ofendido. É jovem, estava de cabeça perdida pela raiva de perder todas as competições no final das batalhas. Parece-me que Jorge Jesus soube perceber a sua ira e terá até tratado a coisa com grande sabedoria, esperemos agora que ambos saibam gerir a situação e se não deixem conduzir por mesquinhas decisões. Ambos são importantes para o Benfica e por isso se devem entender.
Terminarei falando da grandeza tamanha da Nação Benfiquista, não será uma época que termina de forma perdedora mas com grande dignidade que fará do Benfica maior ou menor. O tamanho da grandeza do Benfica é deveras inquestionável, não serão meia dúzia de arruaceiros ou diminuídos na compreensão que nos derrotarão emocionalmente. Falam tanto do Benfica e regozijam-se com as suas derrotas, apenas pela sua dimensão inalcançável por qualquer outro clube em Portugal ou mesmo na Europa exagerando até um pouco quem sabe no mundo, pois nenhum tem tanto sócio inscrito como o nosso Benfica.
VIVA O BENFICA SEMPRE. FOI, É, E SERÁ O MAIOR CLUBE DE PORTUGAL. VOLTAREMOS A GANHAR SE CONTINUAR ESTE CAMINHO DE SOLIDEZ E BEM FAZER.
26-05-2013
Dinis Jesus

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *